Em seu livro de estreia, a cantora e compositora Badi Assad faz um inventário sentimental e autobiográfico de 80 artistas de todos os continentes. Depois de um período escrevendo para a Top Magazine, Badi complementou as crônicas iniciais com novas impressões para este livro – que passou a ser não somente uma homenagem aos artistas de cantos, etnias e épocas distintas, mas também uma forma de registrar a admiração e as próprias influências de artistas em sua jornada pessoal. De Chico Buarque a Björk, Badi revela seu olhar carinhoso e experiente sobre os artistas e revela novas referências até para os ouvintes mais antenados.  

O livro tem prefácio de Chico César, que começa dizendo:

"Não é sobre música, músicos ou musicistas esta volta ao mundo para a qual nos convida Badi Assad. É sobre a vida, ela mesma múltipla e diversa experiência. Quem nos conta, nos leva e conduz é excelente violonista e cantautora, além de intérprete inventiva, cheia de telecotecos e silvos no corpo-espaço percutido, atravessado de sons, intuições e sentidos."

Sobre a autora

Badi Assad canta, toca violão e transforma seu próprio corpo em música... e tudo ao mesmo tempo! Ela se divide entre o Brasil e Estados Unidos, de onde parte para apresentações ao redor do globo. Nascida no interior de São Paulo, vem de uma família musical. Seus irmãos formam o Duo Assad, um dos mais prestigiados e premiados duos de violão do mundo. Seguindo seus passos, Badi aos 14 anos começou também a tocar. Com apenas 15, já colecionava prêmios de melhor violonista em concursos internacionais, e aos 19 fez sua primeira excursão ao exterior.

Com vários discos lançados, em 2006 wonderland entrou na lista dos 100 melhores pela BBC de Londres; em 2012, amor e outras manias crônicas lhe rendeu o prêmio de melhor compositora pela APCA (SP), ano em que foi listada pela Rolling Stone entre os 70 mestres violonistas brasileiros da História; em 2014, cantos de casa, primeiro trabalho dedicado ao público infantil, recebeu o Troféu Cata-Vento (Fundação Padre Anchieta) e sua canção Pega no coco ganhou o 1º lugar no USA International Songwriting Competition, na categoria world music; em 2017, o documentário BADI, sobre sua vida, recebeu o prêmio de melhor filme no FestCine Maracanaú (CE). 

Volta ao Mundo em 80 Artistas - Badi Assad
R$46,90
Quantidade
Volta ao Mundo em 80 Artistas - Badi Assad R$46,90

Em seu livro de estreia, a cantora e compositora Badi Assad faz um inventário sentimental e autobiográfico de 80 artistas de todos os continentes. Depois de um período escrevendo para a Top Magazine, Badi complementou as crônicas iniciais com novas impressões para este livro – que passou a ser não somente uma homenagem aos artistas de cantos, etnias e épocas distintas, mas também uma forma de registrar a admiração e as próprias influências de artistas em sua jornada pessoal. De Chico Buarque a Björk, Badi revela seu olhar carinhoso e experiente sobre os artistas e revela novas referências até para os ouvintes mais antenados.  

O livro tem prefácio de Chico César, que começa dizendo:

"Não é sobre música, músicos ou musicistas esta volta ao mundo para a qual nos convida Badi Assad. É sobre a vida, ela mesma múltipla e diversa experiência. Quem nos conta, nos leva e conduz é excelente violonista e cantautora, além de intérprete inventiva, cheia de telecotecos e silvos no corpo-espaço percutido, atravessado de sons, intuições e sentidos."

Sobre a autora

Badi Assad canta, toca violão e transforma seu próprio corpo em música... e tudo ao mesmo tempo! Ela se divide entre o Brasil e Estados Unidos, de onde parte para apresentações ao redor do globo. Nascida no interior de São Paulo, vem de uma família musical. Seus irmãos formam o Duo Assad, um dos mais prestigiados e premiados duos de violão do mundo. Seguindo seus passos, Badi aos 14 anos começou também a tocar. Com apenas 15, já colecionava prêmios de melhor violonista em concursos internacionais, e aos 19 fez sua primeira excursão ao exterior.

Com vários discos lançados, em 2006 wonderland entrou na lista dos 100 melhores pela BBC de Londres; em 2012, amor e outras manias crônicas lhe rendeu o prêmio de melhor compositora pela APCA (SP), ano em que foi listada pela Rolling Stone entre os 70 mestres violonistas brasileiros da História; em 2014, cantos de casa, primeiro trabalho dedicado ao público infantil, recebeu o Troféu Cata-Vento (Fundação Padre Anchieta) e sua canção Pega no coco ganhou o 1º lugar no USA International Songwriting Competition, na categoria world music; em 2017, o documentário BADI, sobre sua vida, recebeu o prêmio de melhor filme no FestCine Maracanaú (CE).